Seguidores

domingo, 4 de dezembro de 2016

Traduzir-se
Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.
Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.
Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.
Traduzir-se uma parte
na outra parte
– que é uma questão
de vida ou morte –
será arte?

(Ferreira Gullar)

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

"Amigo é coisa pra se guardar debaixo de sete chaves, dentro do coração" diz a letra dessa inesquecível e linda música cantada por Milton Nascimento, Canção da América.
É um dos mais belos hinos de celebração de união de verdadeiros amigos, diria irmãos.
Me lembro que sempre foi tocada em várias formaturas e jamais deixou de emocionar.

Hoje em dia a palavra amizade tem se banalizado tanto, que qualquer pessoa que se conheça ontem já é chamada de amiga.
Talvez as redes sociais tenham ido longe demais com essa difusão generalizada da palavra "amizade", pois sabemos que na grande maioria dos casos não se pode tão prematuramente ter esse sentimento por alguém que mal conhecemos e que com certeza não se encaixaria na categoria de pessoas confiáveis (o que é fundamental em uma relação dita de amizade).

Indo um pouco mais fundo te pergunto em quem você confiaria um segredo ou problema mais grave, sabendo que isso estaria em segurança com essa pessoa dita amiga?
Acho que sei a resposta, porque com certeza não podemos nos abrir com alguém que não nos fizesse primeiramente se sentir tão acolhido a ponto dessa revelação.
Num mundo onde ter mais substituiu o amar mais, existem os que prefiram ir onde a falsidade e o interesse seja mais útil e agradável.

Talvez o que realmente falte são pessoas amigas e não amigas pessoas.
Sei lá, tanto faz o que eu pense, mas mesmo assim eu serei sempre a mesma e com a mesma essência intacta, e não um fantoche (como a maioria dos que vejo por aí).

Num mundo globalizado , tecnológico e cada vez mais estéril de sentimentos, ousar ser sincera, sentimental e autêntica , virou sinônimo de ser antiquada e fora de moda
.

Mas com toda sinceridade que me cabe, prefiro mil vez ser desse jeito do que a mais moderninha das pessoas que com suas máscaras de certinhas,  escondem o que há de mais perigoso e cruel que é a falsa modéstia e o oportunismo.
Esse sim é o perfil que mais tem me enojado nos últimos tempos.

Que eu continue sempre evoluindo, aprendendo e amando cada dia, mais sem perder o que de melhor eu tenho, que é saber ser "Amiga"com A maiúsculo.

Abraços e obrigada aos que leram até aqui.
Rosangela Lessa. 


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Sonho bom é sonho sonhado junto, ou pelo menos desejado.
To me despedindo de você e me devolvendo de novo pra mim.
Foi bom enquanto tentativa, mas pena que foi só de mim pra você.
Você  não fez nada, a não ser desenterrar os seus  fantasmas e os erros do meu passado.
Não quero sofrer duas vezes pelo que já passou. eu esqueci, mas você não.
Você não tem culpa de se preservar, mas eu sim de continuar insistindo em algo que só eu desejei.
Melhor cada um seguir sua história e seu caminho.
A amizade continuará se depender de mim, mas o sonho que tive um dia, acaba hoje.

Rosangela Lessa


Deixo um texto da Isabela Freitas só como complemento ao que a mim faltou dizer:

"Ou você quer, ou não quer. Não precisa ser pra sempre, mas precisa ser agora. Precisa ser certeza. Nós não precisamos casar, ter dois filhos, ou uma cerquinha branca. Eu nem sei se quero essas coisas! Eu apenas quero. Do verbo querer. Querer qualquer coisa. Quero que você também queira. Um beijo, um abraço, um amasso demorado. Quero que você não pense no amanhã, ou no que as pessoas irão falar. Elas sempre falam. Quero ser intensa, quero gritar bem alto. Quero andar pelas ruas na madrugada, e sorrir até a barriga doer. Quero viver. E quero que você viva. Porque viver esperando por algo é viver pela metade. É esperar por um grande show quando você mesmo pode ser o personagem principal."

Novembro

Não que eu quizesse,

Mas as circunstâncias me modificam.

Me alteram, dependendo da forma que chegue à mim.

Não que eu seu seja intolerante,

Mas tenho ponto fraco, tenho meu limite, tenho meu pudor.

Se esbarrarem nisso, explodo impiedosamente.

"Brincadeiras" comigo, tem tempo e dosagem certa.

Portanto só me ofereça aquilo que você tem de verdade.

Se não for, me deixe em meu canto.

Tenho uma mania terrível de me deixar levar

Mais também uma percepção tremenda de quem não vale apena.

Sou "adoçada" a sua maneira.



(Patty Vicensotti)

Abraços

Rosangela Lessa


segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Gosto de Gente assim...com a cabeça no lugar, de conteúdo interno
idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade.
Gosto de gente que ri, chora, se emociona com um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.
Gente que ama e curte saudade, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais.
Admira paisagens, poeira e chuva.
Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras,
compartilhar vivências e dar espaço para as emoções que fluem naturalmente
de dentro de seu ser!
Gente que gosta de fazer as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis
e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam.
Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender
mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto.
Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos.
Com muito amor dentro de si.
Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes,
tirando lições dos erros e fazendo redentoras suas lágrimas e sofrimentos.
Gosto muito de gente assim... como VOCÊ!
E desconfio que é deste tipo de gente que Deus
também gosta!
(Artur da Távola).

Grande Paulo Alberto, traduzindo sentimentos de tantas pessoas, me incluindo nesta extensa lista de admiradores de suas sensíveis crônicas.


Abraços,

Rosangela Lessa.

sábado, 29 de outubro de 2016

"Não sou para todos.
Gosto muito
do meu mundinho.
Ele é cheio de surpresas,
palavras soltas 
e cores misturadas.
Às vezes tem um céu azul,
outras tempestades.
Lá dentro
cabem sonhos
de todos os tamanhos.
Mas não cabe muita gente.
Todas as pessoas
que estão dentro dele
não estão por acaso.
São necessárias."
_Caio Fernando Abreu_