Seguidores

domingo, 12 de abril de 2015

Do Meu Jeito.

"Eu sempre serei o reflexo e o merecimento das tuas atitudes...Se me deres arrogância, receberás desprezo,Se me servires raiva, engolirás silêncio,Se me ofereceres desrespeito, ganharás indiferença...Mas, nunca espere de mim , compatibilidades a sentimentos pequenos ou mesquinhos, porque não me troco com medíocres. Apenas ignoro!"
(Keira Sacavem)

Lendo esse texto tão emocionado e raivoso, percebi o quanto é importante aprendermos a ser mais defensivos diante de certas pessoas, antes que cheguemos a esse estágio de rancor e mágoa...
Acredito que jamais me curvaria a essa frieza e sarcasmo, diante de qualquer pessoa,mas sim me esquivar de estradas tão sinuosas e optar pelo que me faz oferecer o meu melhor e receber o mesmo.
Na estrada que escolhi seguir, não tem espaço para essa perda de tempo, energia e dissabor...Ainda bem, pois a vida é curta...
Sou uma eterna apaixonada pela vida e por pessoas de verdade, e por ser tão passional, sei que assusto quem vive sempre numa redoma de vidro, coberto de sentimentos de perseguição, mentiras e de bajulações fáceis e fúteis.
Que Deus me mantenha longe de quem assim escolheu ser, e me aproxime sempre ( como tem feito) de pessoas autênticas, encantadoras e apaixonantes, que tem entrado em minha vida nesse  ano que para mim só está começando bem , e muito bem...Dessas jamais quero me afastar.
Quanto as que ficaram pelo caminho que a luz e a paz esteja com elas.

Abraços a todos que chegaram até aqui comigo, e assim continuem.
Amém!!!


Rosangela Lessa


segunda-feira, 2 de março de 2015

Quero esquecer que jamais esqueci. Quero esquecer elogios e os apuros. Quero me reinaugurar.
(Clarice Lispector)

Lendo essa frase de Clarice percebi que ando assim : me reinventando a cada novo dia.
Me afastando do que nunca me fez bem e começando um belo e feliz reencontro com a minha essência talvez meio perdida ou meio escondida, e voltando a viver da forma que sempre me fez uma mulher inteira e com bagagem suficiente para jogar fora coisas, pessoas e também objetos inúteis.
Me desapegando completamente e doando tudo que já não me pertence ou que já não me faz nenhuma falta, pois outras pessoas precisam também ter sua dose de crescimento e amadurecimento na vida.
A minha já estou na cota máxima, e agora  só quero a leveza de ser feliz , alegre e livre de pesos desnecessários e respirar o mais puro ar de liberdade e plenitude..deixar ir , soltar e nunca mais retornar a esse porto.
Sou feliz por ter tantos motivos a cada novo dia para sempre acordar sorrindo, e com um entusiamo que me surpreende adoravelmente e me faz ver o quanto amar quem nos ama é tudo que podemos querer da vida .
Termino agradecendo a Deus, ao meu amor , minha família e aos meus amigos preciosos.
Amo Todos vocês!!!
Sejam todos também felizes :)


Rosangela Lessa




terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O Tamanho das Pessoas...

Os Tamanhos variam conforme o grau de envolvimento...

Uma pessoa é enorme para ti, quando fala do que leu e viveu, quando te trata com carinho e respeito, quando te olha nos olhos e sorri .

É pequena para ti quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e até mesmo o amor

Uma pessoa é gigante para ti quando se interessa pela tua vida, quando procura alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto contigo. E pequena quando se desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.

Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos da moda.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas.

Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande.
Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. O nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de acções e reacções, de expectativas e frustrações.

Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente torna-se mais uma.
O egoísmo unifica os insignificantes.
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande... é a sua sensibilidade, sem tamanho...
Martha Medeiros.


Abraços a todos os essenciais de minha vida.

Rosangela Lessa

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Clariceando

Sou como você me vê... posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar... suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras, sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calma e perdôo logo.
Não esqueço nunca. Mas há poucas coisas de que eu me lembre...
Tenho felicidade o bastante para ser doce, dificuldades para ser forte, tristeza para ser humana e esperança suficiente para ser feliz...
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre... Sou uma filha da natureza: quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério.
Sou uma só... Sou um ser... a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Clarice Lispector


E continuarei a viver intensamente, apesar de tudo...apesar de todos!
Sou feliz :)

Abraços.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Rifa-se um coração
Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste em pregar peças no seu usuário.

Rifa-se um coração que na realidade está um pouco usado, meio calejado, muito machucado
e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconseqüente que nunca desiste de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coração que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu…
“…não quero dinheiro, eu quero amor sincero, é isso que eu espero…”.
Um idealista…Um verdadeiro sonhador…

Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando relações e emoções verdadeiras.

Rifa-se um coração que insiste em cometer sempre os mesmos erros.
Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nome de causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições
arrependido de palavras e gestos.
Este coração tantas vezes incompreendido.
Tantas vezes provocado.
Tantas vezes impulsivo.

Rifa-se este desequilibrado emocional que abre sorrisos tão largos que quase dá pra engolir as orelhas, mas que também arranca lágrimas e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado, ou mesmo utilizado por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para quem quer viver intensamente
Contra indicado para os que apenas pretendem passar pela vida matando o tempo, defendendo-se das emoções.

Rifa-se um coração tão inocente que se mostra sem armaduras e deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater ouvirá o seu usuário dizer para São Pedro na hora da prestação de contas:
“O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo, só errei quando coloquei sentimento.
Só fiz bobagens e me dei mal quando ouvi este louco coração de criança que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer”

Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por outro que tenha um pouco mais de juízo.
Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconseqüente.

Rifa-se um coração cego, surdo e mudo, mas que incomoda um bocado.
Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda não foi adotado, provavelmente, por se recusar
a cultivar ares selvagens ou racionais, por não querer perder o estilo.
Oferece-se um coração vadio, sem raça, sem pedigree.
Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que, mesmo estando fora do mercado, faz questão de não se modernizar,
mas vez por outra, constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredos
e a ter a petulância de se aventurar como poeta.

(Clarice Lispector)



Aberto o Pregão... ;)


Rosangela Lessa.